Olá, desde de um tempo atrás tenho crises de falta de ar, tontura, dor de cabeça, desmaio, tremedeira, fraqueza, sensação de estar fora de mim e às vezes não consigo dormir direito. Fui em médicos e até agora dizem que está tudo normal, o que será?

Sobre: Psiquiatria

Olá, desde de um tempo atrás tenho crises de falta de ar, tontura, dor de cabeça, desmaio, tremedeira, fraqueza, sensação de estar fora de mim e às vezes não consigo dormir direito. Fui em médicos e até agora dizem que está tudo normal, o que será? - 01/04/2016

No tipo de crises que você está tendo, com todos estes sintomas físicos, geralmente está havendo ativação de uma parte do sistema nervoso que se chama Sistema Nervoso Autônomo (SNA), responsável pela ativação do organismo em situações de estresse, medo, fome, necessidade de lutar. O SNA pode estar sendo ativado por vários mecanismos, inclusive muitos físicos - problemas cardíacos, hormonais ou neurológicos. Frequentemente, entretanto, quando há uma exclusão confiável de causas físicas, o que está ocorrendo são crises de ansiedade. A ansiedade, um fenômeno relacionado também à angústia e ao medo, é uma reação normal do organismo a situações estressantes. Entretanto, ela pode se tornar exagerada, em algumas circunstâncias e, especialmente, em algumas pessoas, mais predispostas. Nestes casos, diz-se que a ansiedade é "patológica" (o que significa o mesmo que doentia) e deve ser tratada. O estresse que leva à ansiedade leva a uma ativação do SNA e, assim, a pessoa tem não somente sintomas psíquicos (como, por exemplo, medo, ideias de que vai morrer ou, como no seu caso, sensações de que está fora de si) como, também, físicos (falta de ar, tontura, dor de cabeça, sensação de que vai desmaiar, tremores, sensação de fraqueza). O quadro geral de ansiedade, além disto, pode explicar o aparecimento de insônia. Comumente, estes picos de ansiedade podem aparecer numa pessoa que já esteja ansiosa, grande parte do tempo; podem aparecer, também, em situações como quando a pessoa vai a lugares cheios, fechados ou muito altos (só como exemplo). Outras vezes, entretanto, podem aparecer subitamente, vindo "do nada": a pessoa estava se sentindo normal e, de repente, tem uma crise como a que você descreve. Nestes casos, chamamos a crise de "pânico" e, quando a pessoa tem as crises com uma frequência grande, chamamos de "transtorno de pânico". O transtorno de pânico deve ser tratado pois não costuma desaparecer sozinho e pode piorar como o tempo. Além disto, pessoas com pânico frequentemente desenvolvem medos exagerados ("fobias") de lugares cheios de gente ("agorafobia") e, em casos mais graves, após um tempo prolongado sem tratamento, há pessoas que não conseguem nem sair de casa. Felizmente, o pânico (e a ansiedade, de modo geral), tem bons tratamentos, medicamentosos e também psicoterápicos. Dentre os medicamentosos se salientam os inibidores seletivos de recaptação de serotonina como, por exemplo, a fluoxetina, a sertralina, a venlafaxina e outros. Estes são a primeira opção no tratamento, pelo perfil de poucos efeitos colaterais e baixo risco; em caso de falha ou, no caso de alguns pacientes que não toleram estas medicações, entretanto, existem outras opções. De modo geral, apenas, deve ser evitado o uso prolongado dos benzodiazepínicos (medicações "tarja preta"), pois podem levar à dependência, dificuldades de memória e quedas. No caso de pessoas acima dos 60 anos, seu uso deve ser evitado mesmo a curto prazo. Dentre as técnicas psicoterápicas, as mais estudadas na abordagem do pânico e das fobias que a ele podem estar relacionadas são a terapia comportamental cognitiva e a comportamental. Mais recentemente, tem sido feitas pesquisas com um tipo de terapia chamada de Terapia de Aceitação e Compromisso, com alguns resultados favoráveis. Entretanto, de modo geral, medicações devem ser utilizadas, além da psicoterapia. Finalmente, é importante que fique claro que somente um psiquiatra habilitado pode lhe dar certeza quanto ao seu diagnóstico, pois, além do que se disse acima, os picos de ansiedade podem aparecer no contexto de outros transtornos psiquiátricos como, por exemplo, depressões. Além disto, o(a) psiquiatra que você consultar poderá e deverá checar se você já fez todos os exames para garantir que não possui nenhuma causa física para seu problema.

- 04/04/2016
Obrigado
2
0 especialistas concordaram
Ivan Mario Braun
Psicoterapia
Psiquiatria
635
33
1347

Parece uma crise de ansiedade, procure um Psiquiatra e um(a) Psicólogo(a). Faça também atividade física, meditação e ioga.

- 19/04/2016
Obrigado
0
0 especialistas concordaram
Marcelo Marui Biondo
Psiquiatria
Psiquiatria da Infância e Adolescência
693
26
78

Eu chutaria que é pânico. Mas vários transtornos ansiosos podem se apresentar com essa constelação de sintomas.

- 16/05/2016
Obrigado
0
0 especialistas concordaram
Beverly Martinez
Psiquiatria
30
0
8

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Ver mais perguntas
Atenção: as informações contidas nesta página não visam substituir as orientações do seu médico. Sua pergunta será encaminhada aos especialistas do catalogo.med.br, não sendo obrigatoriamente respondida pelos profissionais listados acima.
Login Centralx
Localização